Translate

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Estudo Sobre a Igreja de Esmirna, Uma Igreja mártir

Sermão Ministrado no Dia 04 de Dezembro de 2014


Igreja Evangélica Assembleia de Deus Templo Central
Comunidade Areias



Esmirna, Uma Igreja mártir

Introdução

1.    Remetente e Destinatário

a.    “Ao Anjo da Igreja que esta em Esmirna”
                                          i.    Anjo: Neste caso representa um mensageiro de Deus, o Pastor ou líder da igreja local.
b.    “Isto diz o Primeiro e o último,”
                                          i.    Jesus atesta a sua eternidade
c.    “Que esteve morto e reviveu”
                                          i.    A cidade de Esmirna também esteve morta e reviveu
1.    Foi destruída no ano 600 a.c pelos Lídios
2.    E reconstruída pelos gregos no século 4º a.c
                                        ii.    Jesus estava reafirmando que ele foi crucificado, mas ressuscitou
1.    O Senhor estava assegurando que tinha o poder da vida a chave da morte, que eles não precisavam temer a morte.         

2.    Qualidades da Igreja

a.    “Eu sei as tuas Obras”
                                          i.    A Semelhança da igreja de Éfeso o Senhor também afirma a Esmirna que conhece as suas obras
b.    “E Tribulações”
O Senhor conhece as provas que passamos
                                          i.    “A Blasfêmia dos que se dizem judeus e não o são”
1.    Aparentam servir a Deus, mas não servem - Hb 2.28,29
                                        ii.    “São sinagoga de satanás”
c.     “E pobreza”
                                          i.    Os homens nos avaliam pelo que temos, O Senhor nos avalia pelo que somos – Mt 6.33
1.    O que você quer ser?
a.    Um pobre homem rico
b.    Ou um rico homem pobre

d.    “Mas tu és rico”
                                          i.    Para o mundo eram pobres
1.    Eram pobres porque vinham das classes mais baixas da sociedade
2.    Porque eram saqueados por serem cristãos
3.    Por passarem por prisões e perseguições e terem seus bens confiscados
                                        ii.    Eram Ricos para com Deus
1.    Pois eram fieis
2.    Suportavam a tribulação
3.    Confessavam o nome de Jesus mesmo diante das prisões, das perseguições e da morte.

3.    Palavras de Motivação

a.    “Nada temas das coisas que hás de padecer”
                                          i.    Encontramos três verdades nesta carta:
1.    O Sofrimento é Certo
a.    O Senhor não prometeu nos livrar do sofrimento
2.    O Sofrimento é Limitado
3.    O Sofrimento é Breve
                                        ii.    Policarpo, bispo da igreja antes da sua morte disse para os que o prendiam: “Eu o sirvo a 86 anos e ele sempre me fez bem. Como posso blasfemar contra o meu salvador e Senhor, que me salvou?”
                                       iii.    Você está preparado a sofrer por cristo e pelo seu evangelho?
1.    Somos Bem aventurados quando somos perseguidos – MT 5.10-12
2.    Todos que querem viver seriamente com cristo serão perseguidos – Tm 3.12
3.    Temos o privilegio não apenas de crer, mas também de sofrer por Ele -  Fp 1.29
                                       iv.    Confie no Senhor na hora da tribulação
1.    Não seja incrédulo, nem timido – Ap 21.8
2.    Não temas – Mt 10.28
                                        v.    Não se deixe levar pelas insinuações dos incrédulos
1.    “Onde está o teu Deus?” – Sl 42.3
2.    Muitos nos desafiam a largarmos da nossa cruz como fizeram com Jesus – Mt 27.40-44
b.    “Eis que o diabo lançara alguns de vós na prisão, para que sejais tentados”
                                          i.    Uma igreja fiel a Deus em uma cidade fiel a Roma
1.    Esmirna era a igreja mais fiel a Roma, em 195 a.c. já havia erigido um templo a deusa Roma
2.    Era um centro de idolatria adorava a vários deuses
3.    Era a principal na adoração a Cesar
                                        ii.    As prisões de Roma eram a ante-sala do tumulo
1.    Os prisioneiros normalmente morriam de fome, pestilências ou lepra.
                                       iii.    Há momento que o senhor permite que as trevas hajam – Lc 22.53
                                       iv.    Há momento que Deus da autoridade aos homens para tocarem nos seus servos – Jo 19.11; Jó 1.12
c.    “e tereis uma tribulação de 10 dias”
                                          i.    Jesus acompanha tudo o que acontece conosco
                                        ii.    A nossa tribulação sempre tem um fim
                                       iii.    Nas aflições aprendemos mais de Deus -  Sl 119.71

4.    Promessas
a.    “Sê fiel até a morte e dar-te-ei a coroa da vida”
                                          i.    Esmirna era conhecida por seus jogos onde atletas competiam por uma coroa de louros, Jesus, porém promete a sua igreja a coroa da vida.
                                        ii.    Devemos ser fiel em tempos de prova
1.    Só conseguiremos isso tendo uma visão desromantizada da vida.
a.    Saber que o crente passa por Tribulação – Aperto, sufoco, esmagamento
b.    Entender que o crente pode viver todos os seus dias em situação de Pobreza material –
                                                                                          i.    Alguns crentes eram saqueados – Hb 10.34
                                                                                        ii.    Passavam por momentos de provação como Jó
c.    Saber que às vezes os crentes são Difamados –
                                                                                          i.    Eram chamados de canibais por causa da ceia de cristo que simbolizava seu corpo e sangue
                                                                                        ii.    Acusavam os crentes de quererem fazer uma revolução e de serem desleais a Roma por não adorarem a Cesar
                                                                                       iii.    Aceitar que às vezes serão lançados em Prisões
                                       iii.    O Senhor preparava a Esmirna para honrar o nome de Jesus em todos os momentos até mesmo na morte.
b.    “O que vencer não recebera o dano da segunda morte”
                                          i.    Os cristãos de Esmirna sofreriam por um tempo mais não passariam pelo dano da segunda morte
1.    Os que vencem são bem aventurados – Ap 20.6,14;
2.    Quem não vencer sofrerá a segunda morte 21.8

Conclusão
“Quem tem ouvidos ouça o que o espírito diz as igrejas




                                                                                     Dc Jonas Rocha

                                                                                      AD Comunidade Areias

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Quem são os 144.000 de Apocalipse 7.4?

Os 144.000

“E ouvi o número dos que foram assinalados com o selo, cento e quarenta e quatro mil de todas as tribos dos filhos de Israel”
Ap 7.4

                Amados irmãos esta é uma passagens de difícil interpretação onde a varias interpretações apresentadas por grandes homens de Deus, neste pequeno estudo irei apresentar a visão de alguns destes homens e no final apresentarei a minha interpretação com base nas sagradas escrituras e na interpretação de alguns teólogos que já tiveram o prazer se debruçar sobre este assunto.

1.       Argumentos de Champlin:
a.       Discorda da interpretação de algumas seitas e/ou grupos cristãos que acreditam serem eles os 144.000 selados
b.      Discorda da interpretação de que os 144.000 sejam formados exclusivamente pela nação de Israel
c.       Discorda da interpretação de que os 144.000 sejam formados exclusivamente pela Igreja, a Israel espiritual, pois em Rm 11:26 afirma que chegará um tempo em que toda a Israel será salvo, sendo assim champlin entende que apenas uma parte dos 144.000 também deve ser formado por israelitas.
d.      Rejeita a interpretação de que os 144.000 sejam um grupo seleto de crentes de todas as eras da Igreja, pois pertencem aos últimos dias somente.
e.      Ele compreende os 144.000 como um numero simbólico que representa tanto a igreja como os convertidos da nação de Israel, ou seja para Champlin os 144.000 é a Israel espiritual, não há distinção entre Judeus e Gentios, neste grupo está incluso tanto a Igreja do Senhor quanto a nação de Israel.
2.       Hernandes dias Lopes
a.       Simboliza a totalidade dos remidos, e os 144.000 é um numero simbólico.
3.       George Ladd
a.       Acredita que A maneira mais fácil de resolver é vê-los como o povo Judeu e ver neste simbolismo a salvação de Israel
b.      Outra interpretação citada no seu livro é que os 144.000 são os remanescentes judeus que serão testemunhas do “evangelho do reino”, isto é, da vinda do reino de Deus durante a grande tribulação depois da igreja ter sido arrebatada e a segunda multidão é composta de milhares de gentios supostamente salvos em conseqüência da pregação do remanescente judeu.
c.       Crê que pelos 144.000 João quer identificar o Israel Espiritual, a Igreja.
4.       IBADEP - Instituto Bíblico da Assembléia de Deus – Ensino e Pesquisa
a.       São formados pelos Judeus
5.       Comentário Bíblico em áudio Rota 66 Estudo Nº 266  - Ap 7
a.       São formados pelas tribos de Israel
6.       G.R. Beasley – Murray
a.       Israel e a igreja, simbolizando um número simbólico, representando a totalidade dos salvos.
7.       Michael Wilcock
a.       Todos os que crêem
8.       Minha interpretação
a.       Os 144.000 é um numero simbólico para representar todos os remidos de Israel.

    Posteriormente quando voltar a estudar este assunto colocarei a interpretação de outros estudiosos da palavra de Deus.


Dc Jonas Rocha